O Brasileiro e o Trânsito

Briga no TrânsitoFalar de trânsito numa apresentação de teatro empresa feito para SIPAT sempre é um grande desafio. Isso porque falar de comportamento no trânsito, atitude segura, prevenção; são temas que não permeiam apenas as ações mecânicas de colocar um cinto de segurança ou não avançar um sinal. Essas pequenas normas do dia a dia de quem está atrás de um voltante todos sabemos, inclusive quem nunca tirou uma carteira. O que precisamos realmente atentar é com relação à forma como nós, culturalmente falando, nos comportamos ao dirigir e porquê tomamos esta ou aquela atitude.
Numa entrevista ao canal UTC, no programa “Hora do Especialista”, o antropólogo Roberto DaMatta apresenta um parâmetro mais abrangente das razões pelas quais o motorista brasileiro age de forma tão agressiva, e muitas vezes, egoísta quando dirige. Para ele, o problema comportamental é histórico e inerente à uma sociedade em que tudo sempre foi desigual, mas que no trânsito tem que atuar de forma igualitária. Por ser uma sociedade desigual e que valoriza a propriedade privada, e porque o carro simula um espaço privado, o cidadão que possui um veículo acaba muitas vezes utilizando a via pública como se fosse própria, daí a falta de educação, abusos e o inevitável acidente.

Quando fazemos uma SIPAT, procuramos sempre deixar claro para o colaborador que agir de forma segura no trânsito é um valor de caráter que devemos cultivar. Não obedecemos as regras para evitar a multa, obedecemos porque nosso caráter não permite que façamos o contrário. Como diz Roberto ao final da entrevista “o esperto é aquele que é prudente”. Confira o vídeo e deixe sua opinião na área de comentários!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>